0

Situação preocupante…

 

ng4735052

ESTEJA ALERTA E NÃO HESITE EM CONTACTAR-NOS PARA O AJUDAR A MELHORAR A QUALIDADE DO AR DA SUA HABITAÇÃO

“RADÃO, CO2 E PARTÍCULAS FINAS DETETADAS EM ESCOLAS DO PORTO E BRAGANÇA

Asma, falta de atenção e, potencialmente, cancro. Um estudo da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto detetou encontrou mais de 50 escolas com agentes que podem ser perigosos para as crianças.

O resultado do estudo é claro. Em 65% das salas das escolas e creches de Bragança há mais radão do que a lei permite. Já quanto a um nível excessivo de partículas finas, este foi detetado em 84% das 58 salas do Porto e de Bragança que foram alvo do estudo. Continuar a ler

0

Mais uma evidência dos benefícios, de viver perto, de áreas verdes…

3048572-inline-i-2-living-near-more-trees-makes-you-feel-seven-years-younger-and-richer

VIVER PERTO DE ÁRVORES FAZ COM QUE AS PESSOAS SE SINTAM SETE ANOS MAIS NOVAS

Quer sentir-se mais saudável? Então viva num bairro rodeado de espaços verdes.

Um novo estudo descobriu que quem vive numa rua com 10 ou mais árvores relativamente à média (tanto na rua como nas jardins das habitações das pessoas) pode fazer com que uma pessoa se sinta sete anos mais jovem. Continuar a ler

0

Proibição Mundial, por parte da ONU, do uso de pinturas com chumbo a partir de 2020

O embaixador da Boa Vontade do “Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA)”, Don Cheadle, exorta os governos e cidadãos globais a se comprometerem a combater as alterações climáticas, proteger o ambiente e eliminar o chumbo nas pinturas.

A “Aliança Global para a Eliminação da tinta com chumbo”, co-liderada pelo “Programa das Nações Unidas para o Ambiente” (PNUA) e a Organização Mundial de Saúde (OMS), anunciaram a meta de eliminar a utilização de pintura com chumbo a partir de 2020. Tal facto foi anunciado perante uma multidão de centenas de milhares de pessoas, reunidas no National Mall em Washington DC nas comemorações do 45º aniversário do Dia da Terra. Continuar a ler

1

O ar das cidades| habitações é tóxico…

 

Captura de ecrã 2015-05-27, às 13.43.36

Segundo a OMS, mais de sete milhões de pessoas morrem por ano devido à contaminação do ar urbano e do interior dos edifícios.

Em Março de 2014 a OMS informou que mais de sete milhões de pessoas morrem por ano devido à contaminação do ar urbano e do interior dos edifícios. (230.000 na Europa, onde a morte por acidentes de tráfico ronda os 20.000).

A OMS denuncia que se trata do maior risco ambiental sobre a saúde. Por outro lado, a percepção geral contradiz tal sentença por falta de hábito, falta de informação e porque os nossos sentimentos não o percebem (não se cheira, nem se vê). A OMS reuniu um grande número de especialistas para desenvolver o programa chamado “Global Burdem of Disease”, que conclui que a contaminação do interior dos edifícios é apenas o quarto fator de risco previsível, atrás da hipertensão arterial, do tabaco e do álcool, enquanto que a contaminação particulada das cidades é o nono, à frente da falta de exercício e do colesterol. Continuar a ler

0

Relação do Gás Radón acumulado nas habitações e o cancro do esófago

Microcarcinoma do esófago

Microcarcinoma do esófago

INVESTIGADORES DO LABORATÓRIO DE RADÓN DA GALIZA DA UNIVERSIDADE DE SANTIAGO DE COMPOSTELA (USC) CONFIRMARAM A RELAÇÃO EXISTENTE ENTRE O CANCRO DO ESÓFAGO E ELEVADOS NÍVEIS DE CONCENTRAÇÃO DE GÁS RADÓN EM HABITAÇÕES

O estudo publicado no “International Journal of Radiation Biology”, conseguiu demonstrar uma relação directa entre a acumulação de gás residencial e a mortalidade por esta doença, ou seja, os municípios da Galiza com maior concentração de radón nas habitações apresentam também um maior índice de mortalidade por cancro de esófago entre os homens. Continuar a ler

0

Em Portugal o Ar Mata…

392961No nosso país há quase 6000 mortes prematuras devido à má qualidade do ar, alerta a Quercus. A associação ambientalista cita um relatório da Agência Europeia do Ambiente (AEA) divulgado hoje, segundo o qual os níveis de partículas de poluentes atmosféricos na Europa estão a atingir valores alarmantes. As concentrações elevadas podem levar à morte por asfixia. Continuar a ler