0

Proibição Mundial, por parte da ONU, do uso de pinturas com chumbo a partir de 2020

O embaixador da Boa Vontade do “Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA)”, Don Cheadle, exorta os governos e cidadãos globais a se comprometerem a combater as alterações climáticas, proteger o ambiente e eliminar o chumbo nas pinturas.

A “Aliança Global para a Eliminação da tinta com chumbo”, co-liderada pelo “Programa das Nações Unidas para o Ambiente” (PNUA) e a Organização Mundial de Saúde (OMS), anunciaram a meta de eliminar a utilização de pintura com chumbo a partir de 2020. Tal facto foi anunciado perante uma multidão de centenas de milhares de pessoas, reunidas no National Mall em Washington DC nas comemorações do 45º aniversário do Dia da Terra. Continuar a ler

1

O ar das cidades| habitações é tóxico…

 

Captura de ecrã 2015-05-27, às 13.43.36

Segundo a OMS, mais de sete milhões de pessoas morrem por ano devido à contaminação do ar urbano e do interior dos edifícios.

Em Março de 2014 a OMS informou que mais de sete milhões de pessoas morrem por ano devido à contaminação do ar urbano e do interior dos edifícios. (230.000 na Europa, onde a morte por acidentes de tráfico ronda os 20.000).

A OMS denuncia que se trata do maior risco ambiental sobre a saúde. Por outro lado, a percepção geral contradiz tal sentença por falta de hábito, falta de informação e porque os nossos sentimentos não o percebem (não se cheira, nem se vê). A OMS reuniu um grande número de especialistas para desenvolver o programa chamado “Global Burdem of Disease”, que conclui que a contaminação do interior dos edifícios é apenas o quarto fator de risco previsível, atrás da hipertensão arterial, do tabaco e do álcool, enquanto que a contaminação particulada das cidades é o nono, à frente da falta de exercício e do colesterol. Continuar a ler

0

Relação do Gás Radón acumulado nas habitações e o cancro do esófago

Microcarcinoma do esófago

Microcarcinoma do esófago

INVESTIGADORES DO LABORATÓRIO DE RADÓN DA GALIZA DA UNIVERSIDADE DE SANTIAGO DE COMPOSTELA (USC) CONFIRMARAM A RELAÇÃO EXISTENTE ENTRE O CANCRO DO ESÓFAGO E ELEVADOS NÍVEIS DE CONCENTRAÇÃO DE GÁS RADÓN EM HABITAÇÕES

O estudo publicado no “International Journal of Radiation Biology”, conseguiu demonstrar uma relação directa entre a acumulação de gás residencial e a mortalidade por esta doença, ou seja, os municípios da Galiza com maior concentração de radón nas habitações apresentam também um maior índice de mortalidade por cancro de esófago entre os homens. Continuar a ler

0

Em Portugal o Ar Mata…

392961No nosso país há quase 6000 mortes prematuras devido à má qualidade do ar, alerta a Quercus. A associação ambientalista cita um relatório da Agência Europeia do Ambiente (AEA) divulgado hoje, segundo o qual os níveis de partículas de poluentes atmosféricos na Europa estão a atingir valores alarmantes. As concentrações elevadas podem levar à morte por asfixia. Continuar a ler

0

Boa qualidade do ar nas nossas casas protege a saúde

IndoorAirQualityPassamos cerca de um terço das nossas vidas no interior dos nossos lares, respirando o ar que neles existe. É por isso essencial que a qualidade desse ar seja boa para que nos nossos pulmões exerçam bem a sua função, mantendo a vida e preservando a nossa saúde.

Há a ideia de que nos países desenvolvidos como o nosso, habitações de boa ou razoável qualidade e hábitos de vida “civilizados” são suficientes para garantir boa qualidade do ar nos nossos lares. Nada mais errado!

O ar nas nossas casas é admitido do exterior e, portanto, a sua qualidade é influenciada pela qualidade do ar exterior. Por isso, se possível, evite habitar casas muito próximas de vias rodoviárias com muito tráfego ou junto de instalações industriais poluentes. Continuar a ler

0

A contaminação ambiental prejudica os pulmões das crianças durante a gravidez

prefeitura-monitorando-gestantesVários estudos foram realizados até à data sobre os efeitos adversos dos contaminantes atmosféricos nos pulmões das crianças e adolescentes em idade escolar.

Este novo estudo realizado por investigadores do Centro de Investigação em Epidemiologia Ambiental (CREAL) de Barcelona estudou os efeitos que tem nos pulmões das crianças a exposição das mães a contaminantes atmosféricos durante a gravidez. Este estudo determinou que o ar contaminado durante a gravidez, especialmente no segundo trimestre, é prejudicial para a função pulmonar das crianças e seu desenvolvimento. Continuar a ler